26 de julho de 2011

Estes são os marcadores e o bottom desenvolvidos pela Editora Estronho para as vendas promocionais do livro, que começarão em breve. Conforme forem surgindo mais novidades, vou postando aqui.

22 de julho de 2011

"Ah, o tempo! Ele nos mostra que a vida não pára, que camiñamos aos poucos para o phim de nossos dias. Ao contrário de ser phatalista, é antes de tudo um motivador a apreciarmos nossa existência mortal da mellor maneira possíbil.

A Libraria Limítrophe lida com o tempo de uma maneira completamente distincta da que somos acostumados em nosso plano de existência. Esta loja phabulosa lida com tempo e espaço de um modo particular, mas em seu interior temos pessoas habituadas aos giros da roda do tempo tradicional, então é de suma importância que ainda exista um vínculo com o tempo imphlexíbil de phora da Libraria. Tal vínculo é pheito através da Ampulleta de Tempo Imutábel.

"Pode parecer exactamente o contrário, mas a Libraria Limítrophe é uma loja, não uma biblioteca. É comércio o que phazemos aqui, disso não há dúvida. Opherecemos uma chance das pessoas reaphirmarem sua paixão pela literatura através de uma visão dipherenciada desta. Em troca, o cliente nos paga com a energia das materializações ephectuadas, o verdadeiro combustíbil que mantém a Libraria Limítrophe a pulsar por séculus. A phormalização de tal paga é o opherecimento de um libro representativo aos actos do visitante. A Caixa Registro-Calculadora dephine o volume a ser opherecido.

É um instrumento singular, menor que uma caixa registradora tradicional e um pouco maior que uma calculadora de mesa. Sua phormas arredondadas e o material leve do qual é pheita - um metal incomum de liga phiníssima - permite a phácil acomodação de tal artephacto sobre ou sob o Balcão-Base.

"Registrar memórias para recuperar-las posteriormente sempre que desejado. Poder contar um phacto ocorrido no passado com riqueza de detalles, mesmo depois de anos após ter-lo presenciado. Ter lembranças marcantes a a distância de um braço, em um volume cuidadosamente guardado na estante de libros. Todo ser humano com algum grau de cultura deseja isto para servir de substituto a a mente vulnerábil e propensa a esquecimentos e deturpações.

Deseños pheitos em paredes no interior de cavernas, em tempos remotos. Grandes estátuas e ediphicações sob o comando de grandes impériuns. Um caderno de apontamentos. Um libro de pensamentos. O Homem tem o direito de exteriorizar seus pensamentos e deixar-los libres para viverem a posteridade, palpábeis, disponíbeis, compreensíbeis. E o meu querido irmão Libreiro não pode ter tal direito negado.

Para que o esphorçado mantenedor da Libraria Limítrophe possa ter o sagrado privilégio de guardar recordações da sua labuta de todos os dias, existe um phabuloso item do pherramental chamado Marcador Memorial.

18 de julho de 2011





14 de julho de 2011